sábado, 31 de março de 2012

Emergência Uma pancada forte na cabeça pode deixar a pessoa inconsciente. Saiba como agir nessa situação

Concussão cerebral (não confundir com contusão) é a perda imediata da consciência no momento do trauma. A vítima que sofreu a concussão cerebral se recupera em aproximadamente 24 horas, sem seqüelas. Ela apresenta, associada à concussão cerebral, amnésia retrógrada e pós-traumática. Tampouco se recorda dos momentos que antecederam ao acidente, nem de eventos que ocorreram imediatamente após o acidente. O que se sabe é que a concussão ocorre devido à forte pancada na cabeça que faz com que haja lesão de neurônios e suas funções. Em situações como essa, a identificação da vítima fica a critério de possíveis documentos encontrados com ela, ou de testemunhas que possam conhecê-la. Afinal, a ausência da consciência impossibilita a coleta de informações com a própria vítima. A primeira conduta a ser tomada, em tais casos, é chamar o serviço de emergência. Enquanto a ambulância não chega, os primeiros socorros a serem realizados estarão relacionados ao trauma cerebral já que a concussão estará também sempre relacionada a ele. 1. Verifique os sinais vitais: Freqüência respiratória, freqüência cardíaca, temperatura. Se houver diminuição dos padrões respiratório e cardíaco, poderá ser realizada a reanimação cardiovascular. Mantenha a vítima aquecida. 2. Trate a vítima sempre com a possibilidade de lesão na coluna. Nesse caso, se não houver o colar cervical, segure a cabeça dela com as mãos, uma em cada lateral do rosto, mantendo assim a cabeça alinhada com a coluna. Isso evitará possíveis lesões mais graves. 3. Se não houver fratura craniana, estanque possíveis hemorragias com um pano limpo, pressionando o local da ferida. Se o pano ficar encharcado de sangue, não o retire. Apenas ponha outro por cima. 4. Se houver fratura craniana, não faça pressão sobre a ferida. Apenas a cubra com gaze esterilizada. 5. Em caso de vômito, peça ajuda a outras pessoas para virarem a vítima de lado, de forma sincronizada, cuidando para não desalinhar a coluna cervical. 6. Se a vítima estiver usando um capacete, não o retire, se não tiver certeza de que não há lesão na coluna. 7. Quando o serviço de emergência chegar ao local do acidente, relate aos profissionais de saúde todos os procedimentos realizados. Encaminhada ao hospital, a vítima receberá o atendimento necessário para esse tipo de acidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário